Imagen

Taxa fixa ou variável? O que é melhor para comprar casa?

22.02.2022

Escrito por: Bankinter

A escolha entre uma taxa fixa ou variável é uma das mais importantes decisões, no que toca ao crédito à habitação. Aqui ficam algumas dicas sobre como escolher a melhor opção, quando quiser comprar casa com recurso a financiamento.


Comprar casa é, para muitos, o investimento de uma vida. E é por isso que, muitas vezes, a aquisição de uma casa tem o apoio de um Banco e do chamado crédito à habitação, que não é mais do que um empréstimo feito pelo banco a quem quer comprar um imóvel.
Ora, o crédito à habitação pressupõe que, para além do valor da casa, a pessoa que o contrata tenha também de pagar ao Banco (entre outras despesas) uma taxa por esse mesmo empréstimo. Essa taxa pode ser variável, fixa durante um período inicial ou fixa durante todo o contrato.

Crédito à habitação: diferença entre taxa variável e taxa fixa

De uma forma geral, os dois tipos de taxa que podem ser aplicadas no crédito à habitação são definidos da seguinte forma:

 

Taxa variável

É calculada através da soma da taxa Euribor (indexante que corresponde à média das taxas de juro praticada nos empréstimos entre bancos da zona Euro) com o spread do Banco, ou seja, com o valor que o Banco considera ser a sua margem de lucro no empréstimo efetuado. Uma vez que o spread é uma percentagem fixa do empréstimo, a variabilidade desta taxa vem da taxa Euribor, que poderá mudar ao longo do tempo e, consequentemente, fazer a prestação do empréstimo oscilar durante o período do mesmo.

Taxa fixa

Como o próprio nome indica, é uma taxa que não muda ao longo do empréstimo. Contudo, estas taxas são geralmente definidas para um período específico do empréstimo, por exemplo os primeiros 5 anos, 10 anos ou 30 anos durante o qual a prestação se mantém constante. É normal designar por “empréstimo com taxa mista” aqueles que têm taxa fixa durante um período inicial e no período subsequente têm taxa variável.

 

Como escolher a taxa do crédito à habitação?

A escolha da taxa do crédito à habitação deverá ter em conta, em primeiro lugar, a capacidade financeira de quem o contrata. Contudo, o conhecimento da realidade económica é também um ponto importante para escolher entre taxa fixa ou variável, isto porque os fatores económicos podem influenciar a taxa Euribor. Porque uma provável subida da taxa de inflação, pode originar uma subida da taxa Euribor e consequentemente o aumento das prestações do Crédito Habitação em taxa variável.
Por tudo isto, existem no mercado algumas soluções de taxa fixa para o crédito à habitação, nomeadamente as do Bankinter, que disponibiliza um conjunto de soluções de taxa fixa com diferentes prazos, que podem ir dos 2 aos 30 anos. Saiba mais aqui.

 

A procura de uma boa solução de taxa fixa pode ser também motivo para transferir o crédito à habitação de um Banco para Outro. Também nestas situações o Bankinter facilita o processo ao suportar a totalidade dos custos de transferência, pressupondo que o crédito se encontra com taxa variável no Banco de origem. Saiba mais aqui.

Se procura uma prestação que não depende das oscilações do mercado, encontre-a na estabilidade de uma taxa fixa. Veja aqui qual poderá ser o valor da sua prestação final com taxa fixa:

Simulador de Crédito Habitação

Por último, as soluções de taxa variável continuam disponíveis no Bankinter, com spreads a partir dos 0,95%, para quem preferir a contratação de um crédito à habitação em regime de taxa variável. Saiba mais aqui.

Esta informação não dispensa a consulta de informação pré-contratual e contratual legalmente exigida junto do Bankinter.
O Bankinter, S.A. - Sucursal em Portugal está registado junto do Banco de Portugal com o n.º 269.
Para mais informações sobre Crédito Habitação consulte o Portal do Cliente Bancário e o Portal Todos Contam.


 

Crédito Habitação Escolha do Consumidor 2021 Crédito Habitação Escolha do Consumidor 2021